enoturismo lisboa

Enoturismo Lisboa – Coisas que se ‘Dão’ no Príncipe Real

Movido pela paixão pela viticultura e guiado pelo prazer da apreciação do sabor e aroma de um bom vinho, o enoturismo –rotas que nos levam ao encontro do vinho, da vinha e dos seus produtores –, é hoje um segmento da atividade turística mundial em franca expansão. Mantém alguns pergaminhos de elitista, já que começou por visar entendidos e apreciadores, mas a nova e irrequieta cultura e movida urbana têm vindo a torná-lo cada vez mais apetecível para uma mais vasta plateia de admiradores deste grande protagonista da tradição portuguesa. Até porque qualquer experiência de enoturismo se apresenta também como uma boa escola para quem quer saber e aprender mais sobre este universo tão ligado à terra, à Natureza e aos saberes ancestrais, temas queridos das novas gerações, apostadas na preservação, proteção e conservação do planeta.

Em qualquer aceção do termo, enoturismo é sempre uma celebração do vinho e um festim para os sentidos. É ainda uma mostra orgulhosa daquilo que cada produtor faz, da mestria da sua alquimia e dos dotes do seu terroir. Uma forma elegante de apresentar o produto do seu trabalho e nos dizer: ‘Olhem o que nós fizemos’. É ainda um convite caloroso para entrar em casa alheia e com os de casa partilhar aquilo que por lá se vive e experimenta: conhecimento, afetos e paixões, porque o vinho – mais do que o vinho, a paixão pelo vinho – possui essa mágica habilidade de unir as pessoas, de as juntar e pôr a falar, mesmo quando nem todos os segredos podem ser revelados. Mas isso acontece em qualquer relação saudável. Há sempre algo de nosso que fica só para nós.

 

‘Traz um amigo também’

O enoturismo de Julia Kemper é exatamente esse convite à partilha e à comunhão do seu universo referencial, de uma história familiar secular ligada ao vinho, à vinha e ao tão celebrado e generoso Dão. São braços que se abrem aos wine lovers e aos que se candidatam a amantes, com a avidez de tudo saber e experimentar pela primeira de muitas vezes.

Pode optar por uma experiência imersiva na Adega de Oliveira-Mangualde, no Dão, onde pode experimentar o dia a dia que por lá faz acontecer todo este universo vitivinícola. Pode, todavia, preferir começar pelo requinte da Embaixada da marca Julia Kemper Wines, principescamente instalada em Lisboa, no Príncipe Real, bairro que tem tanto de aristocrata como de shabby chic ou de boémio e onde uma prova de vinhos ganha outra dimensão. Há programas desenhados para todos os ‘palatos’. Pode incluir comida e, claro, o precioso vinho daquela terra e daquelas gentes. Podem até fazer-se acompanhar de música, caso haja desejo de maior personalização, ou se planeie um evento especial. Seja qual for a opção, mais ou menos taylor made, traga um ou mais amigos. Gente de quem gosta, porque vai valer a pena.

Há harmonizações casamenteiras, que emparelham certos vinhos com determinados pratos para uma experiência sensorial envolvente e inesquecível e há também tempo para conversar. Acima de tudo, há vontade de partilhar uma paixão e conectar pessoas. Não é à toa que falamos de uma embaixada do vinho. Porque há coisas que são mesmo próprias dele, do vinho, das suas gentes e dos seus lugares e que merecem representação.


Gostou deste artigo? Partilhe-o com os seus amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top

Confirme a sua idade

Tem idade legal para consumo de bebidas alcoólicas?