vinho organico

Vinho tinto orgânico – Fruto da terra e do respeito pela Natureza

Vinho tinto orgânico é todo o tinto cujo cultivo da uva é estritamente orgânico, que obedece ao princípio sagrado da agricultura orgânica, ou seja, que exclui pesticidas ou qualquer outro produto químico desde a plantação à manutenção dos vinhedos. Assim, o vinho tinto orgânico é nascido de castas tintas cujo cultivo respeita a relação única que se estabelece entre todos os intervenientes de um ecossistema, sem aditivos químicos. Apenas o solo, o meio, o clima, a fauna e flora circundantes e a leitura humana de como tudo isto pode funcionar em nome de um vinho de exceção. Um vinho orgânico.

Orgânico, biodinâmico e natural

No caso dos vinhos tintos orgânicos Julia Kemper, ao adjetivo orgânico somam-se outros dois de não menor importância: natural e biodinâmico. Um triunvirato de respeito, que sela o compromisso de não agressão ao meio-ambiente e tudo deixa ao diálogo puro entre os elementos e ao saber dos homens da terra. Só uvas biodinâmicas, aquelas que resultam de uma viticultura biológica, que recorre a adubos naturais e chama ao terreno insetos autóctones como escudo para pragas, por exemplo, podem favorecer a integridade do vinho orgânico. De nada serve um cultivo orgânico se mais tarde se introduzem químicos na manutenção da vinha ou do vinho. Este entendimento mais vasto, que aceita a terra como um ecossistema de vida circular, em que tudo e todos têm um papel ativo e interventivo, num determinado momento, completa-se, no caso dos vinhos tintos orgânicos Julia Kemper, com o terceiro elemento que falta referir: natural. Aquilo que se designa por vinhos naturais são todos aqueles que reduzem ao mínimo, ou simplesmente rejeitam o uso de qualquer tipo de aditivo químico ou manipulação tecnológica no decurso de toda a sua produção. Para que, com propriedade se designe de natural um vinho, ele tem de dever tudo apenas à terra, à vinha e à uva e pouco ou nada mais.

Palavra de honra

Quando não se verifica esta parceria entre a designação biológico, biodinâmico e natural, o que acontece é que se pode ter um cultivo que pode ser orgânico, ou um vinho natural ou que seja fruto de uvas biodinâmicas, mas que, em qualquer outra fase do processo pode ser quimicamente manipulado, ou sofrer intervenções posteriores, sem deixar de poder ser referido como biodinâmico, orgânico ou natural, mas sê-lo-á verdadeiramente? Os puristas dirão que não e Julia Kemper entende que a honestidade, mesmo a gramatical, exige rigores de gente séria, como aquela gente que aprendeu a trabalhar a terra e a respeitar o meio e a orgulhar-se de saber extrair de um terroir o melhor sabor de sempre. Por isso, Julia pode, com legitimidade, falar dos seus tintos orgânicos, porque o são de verdade, desde a terra à adega, porque também são naturais e biodinâmicos, ou seja, biológicos de verdade. O único aditivo verdadeiramente visível e inegável é a dedicação e a paixão com que, lá para aquelas bandas do Dão, Terra e Homem se dedicam à produção de vinhos ímpares “de forma autêntica e verdadeiramente sentida”, como refere Julia.

O resultado são vinhos biológicos elegantes, com deliciosa acidez, textura incrível e de elevada qualidade, distintos, frescos e com inegável personalidade, reconhecidos já em todo o mundo. Julia Kemper Vinhas Selecionadas, Reserva Tinto, Curiosity Tinto, Touriga Nacional, Aragonez, JK Elpenor Tinto, JK Reserva Tinto e Syrah by Julia Kemper são orgulhosos e honrados títulos da nobre família de vinhos tintos orgânicos Julia Kemper.


Gostou deste artigo? Partilhe-o com os seus amigos!

Deixe um comentário

Scroll to Top